sábado, 10 de dezembro de 2011

Marquês

Tinha os olhos que me vedes e que sempre foram considerados bonitos. Minha cintura estava ligeiramente cheia, embora grande, flexível e esguia. Quanto a meu traseiro, parte tão interessante para os libertinos de hoje, era, segundo todos diziam, superior a tudo o que se podia ver de mais sublime nesse gênero, e poucas mulheres em Paris o tinham tão deliciosamente torneado: era cheio, redondo, muito farto e rechonchudo, sem que estes volumes diminuíssem em nada a sua elegância; o mais leve movimento desvendava imediatamente esse botão de rosa que tanto amais, senhores, e que, concordo convosco, é o atrativo mais delicioso numa mulher. (Marquês de Sade) - 120 dias de Sodoma, p. 161