sábado, 7 de fevereiro de 2009

Flávio Leite & P.Viajei

Rosas





Rosas do campo


Rosas de pranto


Da dor que se cheira


E que se faz de manto.




Deixa-me sentir


Notar e sorrir


Somente ela


Mais uma vez!




Como é belo esse rubro amor


Como é linda essa cor eterna


Como dói fincados em mim


Os espinhos dela.




Ao furto o fruto


As damas proibidas


Que se reserve uma


Para uma doce noite de amor.

P.Viajei & Anorkinda

Algo que sinto


A longa noite em seus olhos

encobre-me, seu sorriso

encobre-me distante em razão

constante em coração

as palavras que por ele são regidas

por ele são descritas

harmoniosas aos sentidos

sentidos por mim quando se provam

quando por ti olham

assim se fazem palavras,

as rimas se encantam

aqui estou

pronto para ti, em palavras

com meus gestos, construindo versos.


Derramando em seus olhos

percorre-me em arrepio

percorre-me sua lágrima

sentimento de lástima em meu coração as palavras

que nunca foram ditas

amorosas sem sentido

sem sentido abandonadas ao relento

quando tua lágrima chora

assim em versos jogados ao vento

aqui estou

trazendo-te em palavras

com meus versos, construindo gestos.